Uso de água

Ecossistemas relacionados à água (florestas, aquíferos e rios) protegidos e restaurados, gerando segurança hídrica para as sociedades. 

Metas 2030

KODS 2030

100% das localidades onde atuamos com iniciativas para o aumento da segurança hídrica territorial.

Percentual de localidades onde atuamos com iniciativas para aumento da segurança hídrica 
2020Meta 2030
52%100%

Todas as unidades contam com uma das seguintes estratégias: Estação de Tratamento de Efluentes nova (Rio Negro, São Leopoldo, Manaus, Itajaí e Betim); Fórum de Desenvolvimento Regional (Angatuba); Programa Caiubi (Monte Alegre, Puma, Otacílio Costa, Lages, Correia Pinto e Feira de Santana). Adicionalmente, todas as unidades industriais são regularmente avaliadas por meio da ferramenta do WRI Aqueduct, para identificação de estresse hídrico que oriente a Companhia na priorização de territórios contemplados por iniciativas relacionadas à meta.
Para esse indicador, o relato considera também as unidades adquiridas em 2020.

KODS 2030

100% de operações florestais sob gestão própria com manejo hidrossolidário.

Percentual de operações de colheita florestal sob gestão própria com manejo hidrossolidário 
2020Meta 2030
79,7%100%

O percentual considera operações de colheita anuais, prevendo propriedades esperadas a médio prazo (e pode variar ao longo dos anos devido ao aumento de áreas, com novas aquisições, por exemplo).

KODS 2030

Reduzir em 20% o consumo específico de água industrial.

Percentual de redução do consumo específico de água industrial 
2020Meta 2030
18%20%

O resultado do ciclo sofrerá alteração ao longo dos anos, pois o plano de expansão da Klabin considera novas operações de papel, que são hidrointensivas. Adicionalmente, o resultado relatado não considera as unidades adquiridas em 2020 (incluindo duas unidades de papéis reciclados).

Para o ciclo, a Unidade Puma foi a maior responsável pela redução considerável na água captada, que reduziu em 8% o consumo específico de água. Os ganhos são decorrentes de maior reutilização de água e também de menor necessidade de água, fechamento de circuitos e campanhas de conscientização.

Desempenho para consumo específico de água total (m³/ton)

2020201920182017
ResultadoMeta do anoResultadoMeta do anoResultadoMeta do anoResultadoMeta do ano
Consumo específico de água total3,62963,913,95824,42382,7470
Por negócio
Papel4,29364,22033,64306,5331
Celulose5,16556,22748,31683,4872
Embalagem0,28260,20610,24780,2585
Reciclados1,74871,28561,63181,5475
Sacos0,05770,018700,0297
Por unidade
Angatuba2,11122,48241,27321,3425
Argentina0,1298*
Betim0,20370,21930,24320,2460
Correia Pinto4,14492,96096,91568,3342
Feira de Santana0,39880,14560,19780,1279
Goiana1,10280,7190,90770,6296
Horizonte0,4185000
Itajaí0,41160,21660,22710,2881
Jundiaí DI0,18710,20630,21600,1827
Jundiaí TP0,42570,33800,27960,1365
Lages 10,0548000,0092
Manaus0,21620,53950,61520,6776
Monte Alegre5,53466,05864,25068,9034
Otacílio Costa1,7860,63701,17770,8708
Piracicaba0,63650,73470,94711,2902
Puma5,16556,22748,31683,4872
Rio Negro0,64540,00790,38040,2048
São Leopoldo0,40780,21840,24520,2451

*Até 2019, este indicador não era mensurado.

A memória de cálculo para consumo específico de água é realizado pela diferença entre água total captada – água total descartada dividido pela produção total da Companhia. Portanto, e também por se tratar de tipos de produção, negócios e unidades diferentes, os números acima não refletem o percentual de redução do consumo específico por unidade ou negócio.

  • 303-1
  • RR-PP-140a.1

Gestão de riscos e impactos e áreas de estresse hídrico

Percentual de plantas em áreas de estresse hídrico

2020201920182017
22,20%17,6%5,9%0%

Operações em áreas de estresse hídrico

Jundiaí DI e Jundiaí TP/SP, Goiana/PE e Horizonte/CE.

Total de operações verificadas

18 unidades – Angatuba, Argentina, Betim, Correia Pinto, Feira de Santana, Goiana, Horizonte, Itajaí, Jundiaí DI, Jundiaí TP, Lages 1, Manaus, Monte Alegre, Otacílio Costa, Piracicaba, Puma, Rio Negro e São Leopoldo.

Percentual da receita correspondente às plantas localizadas em áreas de estresse hídrico (Em R$ MM)

2020201920182017
12,3%13,1%13%0%
1.346,91.242,91.217,90
  • 303-1
  • RR-PP-140a.2
  • RT-CP-140a.2

Gestão dos riscos associados à qualidade e quantidade de água

Desde 2018, a Klabin avalia todas as suas unidades localizadas em áreas de estresse hídrico por meio da ferramenta WRI Aqueduct. Para serem consideradas expostas ao estresse hídrico, as instalações precisam ser classificadas no critério da linha de base do estresse hídrico superior a 20%, tanto para o cenário atual quanto futuro (2030 e 2040).

Em 2020, foram identificadas quatro unidades localizadas em áreas de estresse hídrico: Unidades Jundiaí Distrito Industrial e Jundiaí Tijuco Preto, em São Paulo; Unidade Goiana, em Pernambuco, e Unidade Horizonte, no Ceará. Considerando os cenários futuros, a unidade Feira de Santana, na Bahia, foi localizada em área de estresse hídrico, tanto para o cenário de 2030 quanto 2040.

Além disso, a Klabin avalia constantemente os riscos de escassez hídrica através de monitoramento interno em todas as suas unidades. Em 2020, as unidades Monte Alegre e Puma, no Paraná, e a Unidade Piracicaba, em São Paulo, foram classificadas como potenciais riscos para a Companhia, devido aos eventos extremos associados à ausência de precipitação, podendo causar impacto na produção.

Para essas unidades, a Klabin, proativamente, está adotando uma gestão hídrica diferenciada através da criação de Grupos de Trabalho focados na gestão dos recursos hídricos e na identificação e implantação de projetos para a redução da captação de água e reuso de efluentes nas unidades industriais. Para mais informações a respeito da gestão de riscos da Companhia, consulte o painel TCFD.

Impactos relacionados

Em 2020 não houve impacto relacionado a água e efluentes causado ou com contribuição da Klabin.

A Klabin define os impactos financeiros e estratégicos da Companhia e da cadeia de valor. No processo da Klabin, os riscos com impactos financeiros substantivos, o que pode ter impacto na reputação nacional e internacional, acidentes ambientais de difícil remediação e acidentes de trabalho são considerados como impacto estratégico ou financeiro substancial.

Para serem consideradas expostas a estresse hídrico, as instalações precisam ser classificadas no critério da linha de base do estresse hídrico superior a 20% na ferramenta WRI Aqueduct.

Um exemplo de possível impacto que é monitorado pela empresa é o excesso de chuvas que, sem as devidas medidas de adaptação /mitigação, poderia afetar a produtividade florestal da Klabin em cerca de 7% . Isto representaria um alto impacto financeiro, considerando o custo de reposição da madeira (custo de compra da madeira no mercado).

É relevante informar que as condições e projeções atuais não evidenciam déficit ou superávit hídrico na região florestal da Klabin (até 2040), mas devido à relevância da água para a produtividade, ela é monitorada e há investimento para melhoramento genético.

Engajamento sobre os impactos significativos com a cadeia de valor

Dentro da Agenda 2030 da Companhia, existe uma meta de ter 100% dos fornecedores críticos avaliados pelo Programa de Avaliação da Sustentabilidade na Cadeia de Fornecimento até 2030. Em 2019, iniciamos o Programa que tem como objetivo avaliar os fornecedores críticos da Klabin. Nesta primeira etapa, 110 empresas foram selecionadas para avaliação das questões de responsabilidade socioempresarial, a partir dos temas de meio ambiente, práticas trabalhistas e direitos humanos, ética e compras sustentáveis. Dentro da categoria de meio ambiente, estão incluídas questões de controle e gestão dos recursos hídricos. Dos 96 fornecedores avaliados nessa onda, mais de 72% possuem ações voltadas à gestão da água. Em 2020, mais 84 fornecedores foram avaliados pelo Programa, que representam 21% do total gasto pela Companhia no ano.

Em relação a clientes e investidores, em 2020, a Klabin foi reconhecida na categoria “Liderança” (Nota A) pelo Carbon Disclosure Project (CDP), uma das mais importantes avaliações relacionadas à sustentabilidade empresarial. Esse reconhecimento em liderança na gestão hídrica evidencia o esforço e os bons resultados que a Companhia tem obtido na gestão da água, principalmente nas questões de governança, objetivos e metas, riscos e oportunidades.

Aderência da Agenda 2030 a políticas públicas e ao contexto local das áreas de estresse hídrico

Além da meta de redução de consumo específico de água para 2030, também definimos outras duas ligadas diretamente à quantidade e qualidade relacionada à disponibilidade do recurso:
– Ter 100% das localidades onde atuamos com iniciativas para o aumento da segurança hídrica territorial, a fim de garantir que todas as unidades, a começar pelas identificadas em área de estresse hídrico, liderem iniciativas da Klabin para o reforço e garantia da disponibilidade, em termos de quantidade e qualidade do recurso;
– Ter 100% de operações florestais sob gestão própria com manejo hidrossolidário, uma iniciativa pioneira da Klabin para verificar as melhores práticas de manejo florestal para extinguir ou minimizar impactos em microbacias. Baseada em estudos científicos, a iniciativa é estabelecida, por exemplo, considerando o plantio de pínus ou eucalipto a partir do suprimento de água local e a disponibilidade do recurso em pequenas propriedades. Em 2019, o case “Planejamento Florestal – Microbacias e Hidrossolidariedade” foi reconhecido pelo Diálogo Florestal, uma iniciativa que aproxima Companhias de base florestal e organizações socioambientais.

  • 303-3
  • RR-PP-140a.1
  • RT-CP-140a.1

Números e considerações: água captada, descartada, consumida e reutilizada

Quantidade de água captada por fonte

Unidade 2020201920182017
Áreas totaisÁreas de estresse hídricoMeta do anoÁreas totaisÁreas de estresse hídricoÁreas totaisÁreas de estresse hídricoÁreas totaisÁreas de estresse hídrico
Águas superficiais retiradasML 105.636,97 838,07 109.417,26 1.110,84 109.133,55 955,86 111.981,40
Água doce (sólidos dissolvidos totais ≤1.000 mg/L)ML 105.636,97 838,07 109.417,26 1.110,84 109.133,55 955,86 111.981,40
Outros tipos de água (sólidos dissolvidos totais >1.000 mg/L)ML
Águas subterrâneas retiradasML 124,19 64,43 118,88 69,00 110,63 20,64 101,79
Água doce (sólidos dissolvidos totais ≤1.000 mg/L)ML 124,19 64,43 118,88 69,00 110,63 20,64 101,79
Outros tipos de água (sólidos dissolvidos totais >1.000 mg/L)ML
Águas de terceiros retiradasML 218,04 26,37 174,63 21,57 169,34 186,12
Água doce (sólidos dissolvidos totais ≤1.000 mg/L)ML 218,04 26,37 174,63 21,57 169,34 186,12
Outros tipos de água (sólidos dissolvidos totais >1.000 mg/L)ML
TotalML 105.979,19 928,86 109.725,42 109.710,76 1.201,42 109.413,52
976,50
112.269,31

* A água descartada por fonte em áreas totais considera todas as unidades, inclusive aquelas em áreas de estresse hídrico.

 Unidade                    2020                   2019                   2018                   2017
 Áreas totais  Áreas de estresse hídrico  Meta do ano  Áreas totais  Áreas de estresse hídrico  Áreas totais  Áreas de estresse hídrico  Áreas totais  Áreas de estresse hídrico 
 Águas superficiais retiradas  m³         105.636.967,77                        838.069,00                              –          109.417.256,30                     1.110.841,00        109.133.547,79                        955.860,00        111.981.400,00                       
 Água doce (sólidos dissolvidos totais ≤1.000 mg/L)  m³         105.636.967,77                        838.069,00                              –          109.417.256,30                     1.110.841,00        109.133.547,79                        955.860,00        111.981.400,00                       
 Outros tipos de água (sólidos dissolvidos totais >1.000 mg/L)  m³                               –                                        –                                –                                –                                        –                                –                                        –                                –                                          
 Águas subterrâneas retiradas  m³                124.187,67                          64.425,94                              –                 118.875,23                          69.004,80               110.628,57                          20.640,00               101.787,00                         
 Água doce (sólidos dissolvidos totais ≤1.000 mg/L)  m³                124.187,67                          64.425,94                              –                 118.875,23                          69.004,80               110.628,57                          20.640,00               101.787,00                         
 Outros tipos de água (sólidos dissolvidos totais >1.000 mg/L)  m³                               –                                        –                                –                                –                                        –                                –                                        –                                –                                          
 Águas de terceiros retiradas  m³                218.038,41                          26.368,00                              –                 174.625,76                          21.570,00               169.342,76                                      –                 186.117,00                                        
 Água doce (sólidos dissolvidos totais ≤1.000 mg/L)  m³                218.038,41                          26.368,00                              –                 174.625,76                          21.570,00               169.342,76                                      –                 186.117,00                                        
 Outros tipos de água (sólidos dissolvidos totais >1.000 mg/L)  m³   –                                          –                                –                                –                                        –                                –                                        –                                –                                          
 Total  m³         105.979.193,85                        928.862,94        109.725.421,10        109.710.757,29                     1.201.415,80        109.413.519,12                        976.500,00        112.269.304,00                       

* A água captada por fonte em áreas totais considera todas as unidades, inclusive aquelas localizadas em áreas de estresse hídrico.

  • 303-4

Quantidade de água descartada por fonte 

  Unidade2020  2019 2018 2017 
  Áreas totaisÁreas de estresse hídricoMeta do anoÁreas totaisÁreas de estresse hídricoÁreas totaisÁreas de estresse hídricoÁreas totaisÁreas de estresse hídrico
Descarte de águas superficiaisML89.584,70                                                      503,16           92.304,20                                                    900,15          90.574,94                                                    686,90           99.913,80                                                    661,86
Água doce (sólidos dissolvidos totais ≤1.000 mg/L)ML89.584,70                                                      503,16           92.304,20                                                    900,15          90.574,94                                                    686,90           99.913,80                                                    661,86
Descarte à fonte de extração com qualidade igual ou superior à retiradaML         
Outros tipos de descarteML         
Outros tipos de água (sólidos dissolvidos totais >1.000 mg/L)ML         
Descarte de águas de terceirosML              174,89                                                        29,62                 116,53                                                      31,77                102,61                                                                  –                   100,70                                                                  –  
Água doce (sólidos dissolvidos totais ≤1.000 mg/L)ML              174,89                                                        29,62                 116,53                                                      31,77                102,61                                                                  –                   100,70                                                                  –  
Outros tipos de água (sólidos dissolvidos totais >1.000 mg/L)ML         
TotalML89.759,59                                                    532,78          92.426,42          92.420,73                                                    931,92          90.677,55                                                    686,90         100.014,50                                                    661,86

* A água captada por fonte em áreas totais considera todas as unidades, inclusive aquelas em áreas de estresse hídrico.

 Unidade                     2020                    2019                    2018                     2017
 Áreas totais  Áreas de estresse hídrico  Meta do ano  Áreas totais  Áreas de estresse hídrico  Áreas totais  Áreas de estresse hídrico  Áreas totais  Áreas de estresse hídrico 
 Descarte de águas superficiais  m³            89.584.696,30                            503.164,00                              –             92.304.204,40                            900.150,00           90.574.940,00                            686.900,00            99.913.800,00                            661.860,00
 Água doce (sólidos dissolvidos totais ≤1.000 mg/L)  m³            89.584.696,30                            503.164,00                              –             92.304.204,40                            900.150,00           90.574.940,00                            686.900,00            99.913.800,00                            661.860,00
 Descarte à fonte de extração com qualidade igual ou superior à retirada  m³                               –                                             –                                –                                –                                             –                                –                                             –                                  –                                             –  
 Outros tipos de descarte  m³                               –                                             –                                –                                –                                             –                                –                                             –                                  –                                             –  
 Outros tipos de água (sólidos dissolvidos totais >1.000 mg/L)  m³                               –                                             –                                –                                –                                             –                                –                                             –                                  –                                             –  
 Descarte de águas de terceiros  m³                 174.886,70                              29.621,00                              –                  116.530,17                              31.770,00                102.609,64                                           –                   100.700,00                                           –  
 Água doce (sólidos dissolvidos totais ≤1.000 mg/L)  m³                 174.886,70                              29.621,00                              –                  116.530,17                              31.770,00                102.609,64                                           –                   100.700,00                                           –  
 Outros tipos de água (sólidos dissolvidos totais >1.000 mg/L)  m³                               –                                             –                                –                                –                                             –                                –                                             –                                  –                                             –  
 Total  m³            89.759.583,00                            532.785,00          92.426.415,37           92.420.734,57                            931.920,00           90.677.549,64                            686.900,00          100.014.500,00                            661.860,00

* A água descartada por fonte em áreas totais considera todas as unidades, inclusive aquelas em áreas de estresse hídrico.

Número de casos em que as substâncias analisadas ficaram fora dos parâmetros

 2020201920182017
Número total de parâmetros prioritários analisados*                        186,0 ** – –
Número de casos de não conformidade com os limites de descarte dos parâmetros prioritários                             –   ** – –

*Vazão, temperatura, pH, DQO, DBO, sólidos sedimentáveis, SST, sulfetos, fósforo, nitrogênio amoniacal, óleos e graxas minerais e vegetais, somando um total de 12 parâmetros aplicados para todas as unidades conforme critério de relevância.

**Até 2019, este indicador não era mensurado.

  • RT-CP-140a.3

Número de casos de não conformidade no descarte de água que resultou em ações formais

2020
0
  • 303-5
  • RR-PP-140a.1
  • RT-CP-140a.1

Quantidade de água consumida

Unidade2020201920182017
Áreas totaisÁreas de estresse hídricoMeta do anoÁreas totaisÁreas de estresse hídricoÁreas totaisÁreas de estresse hídricoÁreas totaisÁreas de estresse hídrico
Consumo total de águaML16.219,61                           396,08    17.299,01    17.290,02                           269,50    18.735,97                           289,60    12.254,80                           189,56
Consumo total de água doceML16.219,61                           396,08    17.290,02                           269,50    18.735,97                           289,60    12.254,80                           189,56
Outros consumosML
 Unidade2020  2019 2018 2017 
  Áreas totaisÁreas de estresse hídricoMeta do anoÁreas totaisÁreas de estresse hídricoÁreas totaisÁreas de estresse hídricoÁreas totaisÁreas de estresse hídrico
Consumo total de água16.219.610,88396.077,94   17.299.005,73   17.290.022,72                          269.495,80   18.735.969,48                          289.600,00   12.254.804,00                          189.555,76
Consumo total de água doce16.219.610,88396.077,94    17.290.022,72                          269.495,80   18.735.969,48                          289.600,00  
12.254.804,00
                          189.555,76
Outros consumos         
  -6%47%       
  • 303-3
  • 303-4
  • 303-5

Retirada de água: metodologias e normas

A Klabin mede 100% das captações de água garantindo que a empresa não retire volumes superiores à capacidade regenerativa da fonte para garantir a disponibilidade futura do recurso.
O volume de água de todas as fontes é monitorado continuamente (diariamente). O método de monitoramento é baseado em medidores de vazão. Os dados consolidados são registrados no banco de dados do Resource Advisor mensalmente. Para atendimento às licenças ambientais e às outorgas de água, os resultados consolidados são enviados anualmente às autoridades.

  • 303-4

Substâncias definidas e analisadas para o descarte

As unidades fabris seguem os limites estabelecidos pelas legislações vigentes em cada estado e país para referência e monitoramento de efluentes. Parâmetros como Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBOS) e eficiência de remoção de DBO são prioritários, assim como as concentrações de Demanda Química de Oxigênio (DQO) e fósforo nos efluentes nas fábricas de celulose e papel. Os índices são frequentemente comparados com benchmarks mundiais, como os guidelines do IFC (20 a 100 m3/t é considerado adequado para fábricas de celulose; e 10 a 50 m3/t para fábricas de papel).

Todas as unidades da Klabin monitoram a vazão e a qualidade dos efluentes gerados pela fábrica, antes e depois do tratamento realizado internamente. Os principais parâmetros analisados são: pH, Condutividade, Sólidos Suspensos Totais (SST), Nitrogênio Total e Amoniacal, Fósforo, Sólidos Sedimentáveis, entre outros parâmetros de controle da eficiência das estações de tratamento de efluentes.

Em caso de resultados fora das metas ou limites estabelecidos, a unidade solicita a reanálise da amostra e inicia uma investigação multidisciplinar para encontrar a causa raiz do problema. Após esse processo, cria-se um plano de ação estruturado para a resolução e acompanhamento, seguindo as metodologia definidas em cada unidade. Todas as unidades possuem áreas específicas e responsáveis pela operação e monitoramento dos parâmetros de água e efluentes.

O automonitoramento é realizado frequentemente, o que permite comparar os resultados de terceiros com os resultados internos obtidos. Em caso de identificação de tendência de baixa na eficiência ou de desvio de parâmetros monitorados, as equipes operacionais atuam imediatamente para identificação e resolução da causa raiz.

  • 303-5

Análise de desempenho para consumo

O consumo de água (água retirada – efluente lançado) da Klabin foi reduzido em 6%, entre 2019 e 2020, devido à redução de água captada pela Companhia no mesmo período, especialmente em relação a ganhos operacionais . Isso significa que houve uma redução, mesmo com aumento de produção, revelando eficiência cada vez maior no uso desse recurso pelas unidades industriais.

Nas unidades localizadas em áreas com estresse hídrico, que representam menos de 1% do total de água retirada, houve um aumento de 47% no consumo de água devido ao fato de a nova unidade da Klabin, em Horizonte (CE), estar localizada em áreas de estresse hídrico.

Análise de desempenho para descarte

Entre 2019 e 2020, a Klabin reduziu em 3% o lançamento de efluentes tratados nos corpos receptores e concessionárias em unidades localizadas em áreas sem estresse hídrico. Já nas unidades localizadas em áreas com estresse hídrico, a Klabin reduziu em 43% o lançamento de efluentes tratados, mesmo com a nova Unidade Horizonte/CE, que iniciou sua operação no começo de 2020. Isso ocorreu devido à redução do uso de água na Unidade Goiana/PE, também localizada em área classificada com estresse hídrico.

Percentual de água utilizada proveniente de reuso

 2020201920182017
Percentual de água utilizada de reuso ou água da chuva (pluvial)69,8%68,2%67,8%68,8%
Processos administrativos (escritórios, refeitórios, banheiros) 0%0%0%0%
Processos produtivos69,8%68,2%67,8%68,8%
Percentual das instalações  que utilizam tecnologias de uso eficiente de água100%100%100%100%
Processos administrativos (escritórios, refeitórios, banheiros) 100%100%100%100%
  • 103-1
  • 103-2
  • 303-1
  • 303-2

Gestão do tema Uso de água

A água é um dos recursos naturais mais importantes para nossos processos, desde as florestas, produção de celulose e papel e, posteriormente, produção de embalagens de papelão ondulado. O recurso também é utilizado em toda a cadeia de produção, desde a fabricação de insumos utilizados nas florestas e na produção de papel até a utilização no processo de reciclagem do papel. Seja na captação de água ou na reutilização dos efluentes tratados, o foco da Klabin é reduzir o consumo de água.

Na área Florestal, uma das grandes premissas para a gestão do uso de água se dá no plantio em mosaico, ou seja, um sistema de manejo no qual florestas plantadas de pínus e eucalipto de diferentes idades são entremeadas por vegetação nativa destinada à conservação. Esse manejo garante a proteção dos recursos naturais e permite a criação de corredores de biodiversidade. A Klabin é pioneira na adoção desse manejo. É importante ressaltar que o manejo florestal correto propicia a regulação climática, a conservação do solo, dos recursos hídricos e da biodiversidade da fauna e flora, entre outros benefícios ecológicos.

A Companhia utiliza o conceito de Manejo Hidrossolidário, ou seja, uma estratégia de manejo baseado no equilíbrio entre a produção florestal e a produção de água. Dessa forma, é possível integrar as diferentes necessidades do insumo, incluindo comunidades vizinhas e processos ecológicos.

Essa atividade tem início na etapa de planejamento florestal, que leva em consideração as microbacias hidrográficas e os pontos de captação de água dos vizinhos.

Adicionalmente, conforme descrito nos itens 7 e 12 da nossa Política de Sustentabilidade, todas as unidades atuam em conformidade com as leis e regulações ambientais vigentes, nos âmbitos municipal, estadual e federal. Além disso, buscamos a melhoria contínua em todos os processos, prezando pela conservação dos recursos naturais e pelo aumento do reuso de água.

Além das diretrizes e políticas internas, legislações federais e estaduais voltadas a efluentes e recursos hídricos são constantemente monitoradas, considerando:
– Resolução CONAMA n° 430/2011 – Condições e padrões de lançamento de efluentes;
– Resolução CONAMA n° 357/2005 – Classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento.

A Klabin integra os Comitês de Bacia Hidrográfica dos estados onde opera: representantes da empresa participam ativamente de discussões sobre o uso de água, plano de recursos hídricos e estabelecimento de mecanismos para cobrança do uso da água, juntamente com a comunidade local e as partes interessadas dos setores público e privado da região. Os maiores comitês de que participamos são o Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio Tibagi, no Paraná, e o Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio Canoas, em Santa Catarina.

Além disso, temos participação nos diálogos florestais regionais, onde podemos compartilhar preocupações e iniciativas incluindo a gestão hídrica, com diferentes empresas do setor e Organizações Não Governamentais (ONGs).

Como parte de sua estrutura de Governança de Sustentabilidade, a Klabin possui uma Comissão Fixa de Sustentabilidade composta por executivos seniores, sendo liderado pelo Diretor de Tecnologia e Sustentabilidade e secretariado pelo Gerente de Sustentabilidade, que abordam diversos assuntos relacionados também à gestão do uso da água. Como exemplo, recentemente foi realizada uma avaliação de riscos relacionados à água com foco nos parâmetros físicos do clima e regulamentos relacionados, considerando todas as localidades em que a empresa atua. Além disso, a companhia também mantém uma área jurídica com especialistas ambientais que monitoram questões relacionadas aos parâmetros legais, bem como um contrato permanente com um Escritório de Advocacia Ambiental (Graça Couto Advogados) visando ao acompanhamento preventivo e aconselhamento em temas como mudanças regulatórias, incluindo aquelas relativas à segurança hídrica.

  • 103-3

Monitoramento e resultados

100% dos efluentes do processo industrial da Klabin são tratados nas Estações de Tratamento de Efluentes antes de retornar ao corpo hídrico ou à concessionária. Os efluentes tratados são monitorados internamente e por terceira parte para evidenciar o atendimento a todos os requisitos legais aplicáveis à organização. Além disso, as unidades da Klabin passam periodicamente por auditorias, internas e externas, para avaliação do sistema de gestão, incluindo o sistema de águas e efluentes. Nas unidades que possuem metas ambientais que envolvem questões hídricas, elas estão relacionadas à participação nos lucros de todos os colaboradores.

Os padrões mínimos de descarte de efluentes são baseados nas legislações municipais, estaduais e federais de cada unidade. A Klabin também compara seus resultados com os indicadores do International Finance Corporate (IFC), que possui parâmetros de referência para o setor de papel e celulose. Para determinação dos limites máximos de lançamento, a Klabin realizada estudos de dispersão hídrica e de autodepuração do corpo hídrico para avaliar e determinar os limites que não gerem alteração na qualidade de água e no volume do corpo hídrico.

Em 2020, o volume de água reaproveitada na Klabin representou cerca de 2,2 vezes o volume de água bruta captada (cerca de 247,1 bilhões de litros de água).

O destaque é a Unidade Puma, projetada com alto reaproveitamento desse recurso. Além da tecnologia presente na Unidade Puma, as unidades da Klabin buscam o fechamento do circuito, reduzindo o volume de água captada.


Outro exemplo foi a Unidade Rio Negro, no estado do Paraná, que recebeu investimentos para reestruturação da Estação de Tratamento de Efluentes. A partir das melhorias implementadas, foi possível reutilizar o efluente tratado na produção da própria cola utilizada na produção de embalagens da unidade, fechando o ciclo. Além disso, essa ação reduziu em mais de 100 toneladas a geração de resíduos perigosos. Muitas unidades da Companhia possuem esse mesmo sistema de reaproveitamento dos efluentes para produção de cola em suas unidades.

Outro exemplo relevante é a captação de água pluvial na Unidade Puma, em Ortigueira, no estado do Paraná. Parte dessa água é armazenada em cisternas; e o restante, em lagoas de armazenamento de água de chuva, utilizada para jardinagem, irrigação e higienização em geral.

Para a mesma finalidade, no último ano, a Unidade Puma reutilizou 42,2 milhões de litros de água pluvial e efluentes tratados. A unidade de Lages, no estado de Santa Catarina, também reaproveita água de chuva; e a unidade de Angatuba, no estado São Paulo, trabalha em um projeto com o mesmo fim.

Em 2021, 50% dos diretores tiveram sua remuneração variável atrelada ao desempenho dos indicadores de Uso de água. Além deles, 56 gestores (de consultores a gerentes, representando 8% do total), também vincularam sua remuneração às metas de Uso de água da Klabin.