Aumento do Rendimento florestal

Uso mais eficiente das áreas florestais, com elevado conhecimento sobre os efeitos indesejados do manejo das espécies e menor estresse nos ecossistemas.

  • 103-1
  • 103-2
  • 103-3

Gestão do tema Rendimento florestal

O rendimento florestal é medido pelo volume de madeira por hectare ou toneladas de celulose por hectare. A Klabin possui uma das maiores produtividades florestais do mundo para os gêneros Eucalyptus e Pínus. O objetivo é manter essa posição, em linha com a Agenda Klabin para o Desenvolvimento Sustentável (KODS), materializada em metas para a gestão de curto, médio e longo prazos até 2030, com vistas à manutenção e ao aumento da produtividade. Assim, reduz-se a necessidade de áreas plantadas e mantém-se a preservação de áreas nativas.

Vários projetos de Pesquisa foram desenvolvidos para a produção de material genético melhorado e a seleção de híbridos de eucalipto de alta produtividade em celulose. Nesses projetos de melhoramento genético, foram avaliados o crescimento de centenas de clones em desenvolvimento, a qualidade da madeira, a tolerância a pragas e doenças.

Em 2020 foram protegidos (patenteados), no Ministério da Agricultura, seis clones de eucalipto de alto potencial produtivo, que apresentam produtividade 22% superior em relação à base florestal existente. Esses novos clones serão plantados nos próximos anos para compor a base florestal para os planos 2020-2030 de evolução da produtividade.

Com relação ao gênero Pínus, uma nova espécie mais tropical vem sendo plantada, o Pínus maximinoi, capaz de gerar 20% a mais de madeira para o abastecimento de nossas fábricas, sem perda de propriedades e de qualidade no produto final, como a celulose fluff.

Com recomendações de manejo para o programa operacional mais direcionadas, nos anos últimos, a área operacional e de qualidade florestal foram estruturadas para garantir os projetos de aumento de produtividade e expansão florestal da Companhia, com plantios de qualidade e manejo silvicultural de excelência.

As recomendações de espécies e clones foram realizadas com base no conhecimento de solo e clima. Novos mapeamentos de solos e instalações de estações meteorológicas foram realizados em 2020 para melhor cobertura e conhecimento da área de plantio onde a empresa atua. Também para otimizar a produtividade e o uso dos recursos naturais, análises de monitoramento de fertilidade do solo foram realizados. Saiba mais

Para o crescimento vigoroso da florestal investiu-se em pesquisas de avaliação e monitoramento de pragas e doenças visando mitigar os impactos e realizar controles biológicos caso necessário. Além disso, um projeto desafiador foi iniciado em 2020, visando ao desenvolvimento de produto de base biológica para o controle de formigas cortadeiras no setor florestal.

Inovação e transferência de tecnologias no manejo florestal são focos do P&D, buscando potencializar a produtividade das florestas da Klabin. Interações dos fatores bióticos e abióticos são avaliados para alocação das florestas de pínus e eucalipto com o intuito de capitalizar os ganhos produtivos de cada gênero, de acordo com as regiões de atuação da Companhia.

Para isso, contamos com especialistas dedicados às áreas de melhoramento genético de eucalipto e pínus, biotecnologia e clonagem, nutrição e silvicultura, ecofisiologia e proteção florestal.

A Klabin também está constantemente atenta às pesquisas relacionadas a espécies transgênicas. No entanto, e sobretudo por diretrizes relacionadas à certificação das florestas, a Companhia não as utiliza em seus processos.

Curva de produtividade, segmentado por pínus e eucalipto

Indicador de produtividade – pínus
39 m³/ha/ano
Indicador de produtividade – eucalipto
54 m³/ha/ano

Em 2021, 8% dos diretores tiveram sua remuneração variável atrelada ao desempenho dos indicadores de aumento do rendimento florestal. Além deles, 90 gestores (de consultores a gerentes, representando 13% do total), também vincularam sua remuneração aos objetivos de aumento do rendimento florestal da Klabin.